A LOUCURA DAS FACAS

UMA FACA AZUL NOS DENTES

 

O espaço é uma grande máquina de sombras e
o poema uma miragem de letras
não posso escrever os meus gritos
não posso dizer-te quem sou

escrevo um testemunho inútil numa noite imensa
e o amor para sempre é um defunto
com uma faca azul nos dentes.

 

_
▪ Maria Azenha
( Portugal 🇵🇹 )
in “A loucura das facas“, pag.13, Editora Urutau (Galiza, Brasil, Portugal), 2021